Home » Noticias » Árbitro de Beja Luís Lameira emite comunicado

Árbitro de Beja Luís Lameira emite comunicado

Quarta-Feira, 18 de Junho de 2014
Árbitro de Beja Luís Lameira emite comunicado
O árbitro de Beja Luís Lameira absolvido da acusação de ter tentado beneficiar a equipa madeirense do Machico, em jogo contra o Atlético Clube da Malveira.

Depois de ter sido absolvido no processo relacionado com a pratica de corrupção desportiva relativo ao jogo entre os Madeirenses do Machico e o Atlético Clube da Malveira, disputada em abril de 2004, a contar para a Série E da então III Divisão, que teve como resultado final um empate a um golo, Luis Lameira entende ser esta a hora para esclarecer alguns factos que no seu entender serviram para o difamar nos últimos 10 anos.

Recorde-se que a acusação deduzida pelo Ministério Público indiciava o ex-vice-presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, António Henriques, de ter tentado beneficiar a equipa madeirense.

O ex-dirigente, teria movido influências para beneficiar o Machico, tendo contactado para o efeito o árbitro de Beja Luís Lameira.

Assim, António Henriques terá entrado em contacto com Azevedo Duarte que era responsável na altura pelas nomeações dos árbitros, para nomear Luís Lameira para esse encontro, contudo, pelos indícios e factos recolhidos e analisados, nada indicou a existência de um crime de corrupção ativa desportiva, saindo os arguidos absolvidos desse processo.

Nesse sentido o árbitro bejense entendeu agora deixar em comunicado alguns esclarecimentos sobre esses casos em que esteve envolvido.

COMUNICADO

Eu, Luís Lameira, árbitro da Associação de Futebol de Beja, venho por meio deste comunicado esclarecer, os diversos agentes desportivos, a comunicação social, adeptos de futebol em geral e demais interessados, que a divulgação de diversas noticias e muitos comentários que atentaram contra o meu bom nome, não têm nem nunca tiveram qualquer fundamento. Nunca me pronunciei publicamente sobre os factos ocorridos, durante estes últimos dez anos, até porque pelo segredo de justiça não o poderia fazer, entendi agora ter chegado a hora de esclarecer toda a verdade:

1º – Ao longo destes anos fui muitas vezes ligado ao processo “Apito Dourado” sempre com base na falta de verdade e na difamação.

Relembro que não fui arguido do processo, não cometi qualquer infração desportiva ou criminal, nunca sofri qualquer punição.

A minha participação no referido processo foi solicitada pelo Ministério Público, na qualidade de TESTEMUNHA, o que fiz com o sentido de esclarecer a verdade.

Mais esclareço que quando foi deduzida a acusação contra os infratores no processo, a Procuradoria-Geral da República encontrou provas que referem que fui prejudicado em benefício de terceiros, enviando-me também a Procuradoria-Geral da Republica, o processo final, para que eu pudesse solicitar um pedido de indeminização contra os mesmos.

2º – O único processo em que estive envolvido como árbitro de futebol ao longo destes 26 anos de carreira teve o seu términus neste mês de Junho, e onde uma vez mais fui ilibado, e a esse propósito esclareço o seguinte:

Fui acusado pelo Ministério Público de corrupção desportiva passiva referente a um jogo de futebol que arbitrei em 2004, o qual originou a abertura de um processo disciplinar na Federação Portuguesa de Futebol, no qual fui ilibado e como consequência o processo arquivado passados poucos meses.

O processo civil arrastou-se nos tribunais ao longo de anos e terminou agora com a minha ABSOLVIÇÃO total. Não posso deixar passar em claro que quem me acusou, o Ministério Público, nas alegações finais solicitou a minha absolvição reconhecendo que eu não tinha cometido qualquer crime, situação que me deixou obviamente feliz, pela reposição da verdade por parte daquela instituição, mas ao mesmo tempo fico triste porque tinha-se evitado que este processo se tivesse arrastado durante tanto tempo.

Sempre respeitei ao longo destes anos, todas as opiniões e críticas embora muitas delas tenham sido elaboradas sem o mínimo de elevação, contudo espero ter esclarecido todos aqueles que procuram a verdade mas também aqueles que vivem da difamação e dos ataques pessoais para esconder as suas frustrações pessoais ou coletivas.

Para terminar quero deixar um agradecimento muito especial aos meus pais e restante família pelo apoio aos longo destes 26 anos de arbitragem e aos verdadeiros colegas e amigos.

Fonte : Voz da Planicie

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *